19 março, 2010

Pai

Pai, tu foste o melhor pai do mundo.
Tu foste aquele que eu mais amei,
Tu foste o meu herói, o meu exemplo.
Contigo aprendi o significado da palavra honestidade,
Contigo aprendi o significado da palavra respeito,
Contigo aprendi o significado da palavra generosidade.
O orgulho que eu sentia quando me diziam que era parecida contigo.
Partiste há doze anos e eu continuo a pensar em ti todos os dias.
O que mais dói é não ter dito mais vezes que te amava, não ter acariciado o teu cabelo branco, não ter pedido o teu conselho sempre que vacilava no meu caminho.
Recordo com muito carinho a cena do nosso reencontro em Moçambique, depois de dois anos de separação. No cais de Lourenço Marques, depois de 31 dias no mar, fui a primeira a ver-te, no meio de uma ruidosa multidão que aguardava a chegada de familiares da metrópole. Que alegria! Do alto dos meus seis anos gritei, gesticulei e chorei tentando chamar a tua atenção. Queria-te só para mim. Quando me pegaste ao colo molhei o rosto nas tuas lágrimas de alegria.
Adoravas música. E que bem tocavas acordeão e guitarra.
Nunca quis aprender contigo. Hoje arrependo-me.
Adoravas futebol e eras adepto do Sporting.
Chegaste a jogar no Belenenses de Lourenço Marques. Recordo-me.
Adoravas conviver e divertir-te. Junto de ti a festa era constante.
Adoravas a tua família.
Aprendi tanto contigo.
Pai, tu foste, és e serás sempre, o melhor pai do mundo.
Tu partiste, mas continuarás eternamente no meu coração.

Sem comentários:

Enviar um comentário