08 novembro, 2010

Silêncios sofridos

“Há algo de ameaçador num silêncio muito prolongado”(1)

É difícil explicar o que sinto quando me respondem com silêncios.
É difícil explicar o que sinto quando me impõem silêncio.
Mesmo sabendo que o silêncio se deve ouvir com atenção, eu gosto de uma boa conversa, ruidosa, atribulada, construtiva, verdadeira.
Gosto do silêncio, quando a minha boca se perde na tua e não sobram palavras.
Também gosto do silêncio, quando os meus olhos se cruzam com os teus na urgência dos momentos ardentes.
E como gosto, do silêncio disfarçado do deslumbramento…
Não gosto de julgar silêncios.
Não gosto de antecipar silêncios.
Gosto de ouvir palavras de amor.
Gosto de palavras.
Faladas.
(1) “Antigona”, Sófocles

Sem comentários:

Enviar um comentário