22 março, 2011

Moçambique (Tete/Songo/Cahora Bassa) - viagem 1990

Em 1990 estive pela primeira vez na província de Tete, em Moçambique. Voltei em 1991.
A província de Tete faz fronteira a norte com a Zâmbia, a leste com o Malawi e a oeste com o Zimbabwe.
É nesta província que corre o rio Zambeze, onde os portugueses construíram, na década de 70, a segunda maior barragem de África e a quinta do mundo – a barragem de Cahora Bassa. A albufeira tem 250 km de comprimento e 38 km entre margens, e ocupa uma área de cerca de 2.700km2. Actualmente abastece de electricidade Moçambique, África do Sul e Zimbabwe.
Tive o privilégio de visitar a central, construída no ventre da terra. É uma obra assombrosa de beleza e engenho, com 5 enormes grupos geradores de 480 MVA a ocuparem o centro do espaço escavado na rocha, com inúmeros focos de luz, estrategicamente colocados, que fazem esquecer que estamos verdadeiramente “dentro da rocha”.
Apenas a alguns quilómetros da barragem fica o Songo, uma vila com cerca de 10.598 km2, sede do distrito de Cahora Bassa, que surgiu com a construção da barragem e onde mais tarde se instalou a sede da empresa que geriu a barragem.
A beleza do local é impressionante, com os vales profundos e verdejantes do rio Zambeze, os recortes montanhosos, o lago calmo da albufeira, a extensão e robustez do paredão, a força dos descarregadores.
Junto de tal grandeza, força e beleza sentimo-nos insignificantes.
Por inúmeras razões, que me escuso de comentar, esta viagem jamais será esquecida.
Mais sobre a barragem de Cahora Bassa aqui.
Mais fotos aqui.

Sem comentários:

Enviar um comentário