30 setembro, 2011

23 setembro, 2011

22 setembro, 2011

21 setembro, 2011

Basta!

Todos os dias temos conhecimento de novos casos de violência doméstica.
O último foi o de um homem que ateou fogo à ex-mulher, em Matosinhos.
Separados há cerca de dois anos, com um filho em comum, o clima de desentendimentos continuou e culminou neste hediondo crime.
Chocante!
Homens e mulheres do meu país, modifiquem comportamentos e canalizem a vossa agressividade para sentimentos construtivos.
Todos nós, no decurso da vida, enfrentamos momentos de frustração, sofrimento, desilusão, rotura, intolerância e revolta.
Em vez de reagirmos agressivamente, temos é de procurar novos códigos de comportamento e encontrar o equilíbrio, mesmo que tal exija a reestruturação da nossa vida.
Basta!

(Foto tirada da net)

20 setembro, 2011

Acabou-se a praia?

As temperaturas dizem que não.
As cadeiras empilhadas (os chapéus arrumados) dizem que sim.
Eu... espanto-me com este país, que não valoriza o que tem - óptimo clima, mar, sol, praias - e só olha para o calendário.
Tenho pena!

16 setembro, 2011

Bom fim-de-semana!

Guten Morgen!

Na semana passada, andava eu às voltas  com as compras semanais num super de Cascais, quando dou de frente com uma das minhas professoras de alemão.
Nem mais!
Olhámos uma para a outra, caladas, até que ela disse:
- Estou a conhecer-te, mas não sei de onde.
Respondi:
- Eu conheço-te e sei de onde. Foste minha professora de Alemão, no Liceu Pedro Nunes.
A partir daí foi uma “festa”.
Uma festa, porque na altura – e já passaram muitos anos – fomos grandes compinchas, ou não tivéssemos vindo ambas de Moçambique e estivéssemos a passar pela fase complicada de adaptação a Lisboa.
Fui muito boa aluna a Alemão e não teve nada a ver com a minha amizade com a professora do 7º ano. Já tinha sido boa aluna no 6º ano, com outra professora.
Verdade!
Eu, ainda hoje não percebo como aconteceu, mas gostei de aprender aquela língua esquisita.
Não faltava às aulas, estudava, estudava, estudava e consegui uma média de 17 valores em ambos os anos.
Na turma ninguém era melhor do que eu.
Verdade!
As professoras avisavam que o Alemão se esquecia rapidamente, se não fosse estudado todos os dias.
Estupidamente, na altura não liguei ao aviso e vai daí, o meu Alemão sumiu, desapareceu, eclipsou, varreu…
Não sei nada de Alemão.
Bem, ainda sei contar até dez: eins, zwei, drei, vier, fünf, sechs, sieben, acht, neun, zehn.
Auf Wiedersehen, senhora professora!

14 setembro, 2011

Parabéns Carolina!

Hoje, 14 de Setembro, a minha netinha Carolina faz 6 meses.
Seis meses de alegria para toda a família.
Ela continua a crescer muito feliz junto dos papás que a adoram.
Já se alimenta como uma menina crescida: come papinhas, fruta, sopinhas e, claro, bebe muito leitinho.
O dia 1 de Setembro foi um dia especial. Para ela e para os papás. Foi para um infantário.
O primeiro dia foi mais difícil para os papás do que para ela, que se portou muito bem e comeu a papinha toda.
Portou-se bem no primeiro dia, no segundo, no terceiro e por aí fora…
Ela é linda, linda, linda!
Eu, ao longe, acompanho o seu crescimento através das muitas fotografias que a mamã me envia. Obrigada, Patrícia.
Na que recebi hoje ela está sentadinha, sozinha.
Fiquei tão feliz. Queria dar-lhe um xi-coração muito apertado. Enquanto não posso, vou olhando, olhando, olhando para a fotografia.
É linda a minha netinha!
Que Deus a guarde.

13 setembro, 2011

09 setembro, 2011

07 setembro, 2011

Avisto coisas lindas da minha janela...

Fotos tiradas hoje, às 20.30 horas.

A arte da escrita...

Se me ponho a cismar em outras eras
Em que ri e cantei, em que era querida,
Parece-me que foi noutras esferas,
Parece-me que foi numa outra vida...

E a minha triste boca dolorida
Que dantes tinha o rir das primaveras,
Esbate as linhas graves e severas
E cai num abandono de esquecida!

E fico, pensativa, olhando o vago...
Toma a brandura plácida dum lago
O meu rosto de monja de marfim...

E as lágrimas que choro, branca e calma,
Ninguém as vê brotar dentro da alma!
Ninguém as vê cair dentro de mim!

“Lágrimas ocultas” – Florbela Espanca

01 setembro, 2011

Era bom... mas acabou-se!

Volto às lides bloguistas, depois de um longo mês de ausência.
Foi um mês em que vivi emoções muito gradáveis, emoções menos agradáveis mas, acima de tudo, um mês em que estive junto de quem me quer bem, junto dos que eu amo sem limites.
Uma vez mais dei um saltinho a Trás-os-Montes.
Dali trouxe o estômago empanturrado de coisas boas, o coração carregado de amor e a alma alentada de esperança.
Voltarei sempre.
A Trás-os-Montes e a este cantinho, onde registo as minhas dores – do corpo e da alma.