21 junho, 2011

Chegou o Verão...

Sim, chegou o Verão…
O Verão da crise… que até nas praias com bandeira azul se faz sentir.
Eram 11.30 horas e os toldos, impecavelmente montados, aguardavam a chegada dos banhistas.
Estes, passavam e não paravam, optando pelo areal sem sombra e sem cadeira.
Recordo as enchentes do ano passado, com a maioria dos toldos ocupados ou reservados para clientes habituais.
Lamentavelmente, o que se verifica nesta praia é comum a todas as outras do paredão de Cascais.
Bom, para quem gosta de praia (que é o meu caso) o conforto do toldo ou do chapéu-de-sol é secundário.
A minha estratégia é definir horários para ir à praia, reduzir o período de exposição solar, tomar vários banhos de mar, usar chapéu ou boné e gozar, gozar, gozar este maravilhoso sol português… por enquanto grátis…
Tempos difíceis estes…

19 junho, 2011

Obrigada cunhadinhos...

Obrigada Isabel, obrigada Tomané, pelas vossas palavras lindas.
Um beijo no coração.

A magia do momento...

Esquisito...
As pombas têm duas patas, não é?
Esta só tem uma...
O que faz ela, estática, no parapeito da janela do meu quarto?
Esquisito...

Avisto coisas lindas da minha janela...

17 junho, 2011

Pedalando no paredão de Cascais

Apesar da sinalética no pavimento do paredão e dos avisos afixados com regras e horários de circulação, há ciclistas que continuam a circular, por vezes velozmente, nas zonas onde devem levar o velocípede pela mão.
Já assisti a cenas desagradáveis, quando chamados à atenção por pais com crianças ou por idosos com dificuldades de locomoção para rapidamente se desviarem.
Aplaudo a iniciativa das autoridades ao impor normas para a circulação das bicicletas no paredão.
Não sou contra a circulação de bicicletas, desde que essas normas sejam seguidas.
Apelo, porém, ao bom censo dos ciclistas para que todos possamos continuar a percorrer, sem acidentes, o paredão e desfrutar de toda a beleza envolvente.


14 junho, 2011

Parabéns Carolina!


Hoje, 14 de Junho, a minha netinha Carolina faz 3 meses.
Continua a comer… dormir… sorrir… comer… dormir… sorrir…, mas agora faz bolinhas com a saliva, chama-nos com barulhinhos, reclama com gritos, tenta agarrar os brinquedos e só quer estar de pé.
Isso mesmo, de pé.
De pé, mas sempre nos braços de quem a ama muito.
Está a crescer e cada dia mais linda.
Os papás continuam “babados” com o desenvolvimento da filhota.
Eu vou “gerindo” as saudades.
É linda a minha netinha!
Que Deus a guarde.